UM GIGANTE ADORMECIDO...

O Vulcão Tambora é um estratovulcão ou vulcão composto, ativo, na ilha de Sumbawa, Indonésia.


A ilha de Sumbawa é flanqueada tanto ao norte como ao sul por crosta oceânica, e Tambora foi formado pela ativas zonas de subducção sob ele. Isto elevou o Monte Tambora a altura de 4300 m, fazendo-o uma das mais altas formações do arquipélago da Indonésia e injetado uma grande câmara de magma dentro da montanha.
O Monte Tambora entrou em erupção entre 5 e 10 de abril de 1815, atingindo o nível 7 no índice de explosividade vulcânica, realizando a maior erupção desde a erupção do Lago Taupo em 181 DC. Esta erupção é considerada a maior registrada na Terra, detendo o recorde do volume de matéria expelida.
A atividade começou três anos antes, de uma forma moderada, seguindo-se a enorme explosão que lançou material a uma altura de 33 km, que, no entanto, ainda não foi o ponto culminante da atividade. Cinco dias depois, houve material eruptivo lançado a 44 km de altura, escurecendo o céu num raio de 500 km durante três dias e matando cerca de 60.000 pessoas, a estimativa de 92.000 mortos é considerada superestimada.
A erupção criou anomalias climáticas globais. Não houve verão no hemisfério norte em consequência da erupção, o que provocou a morte de milhares de pessoas devido a falta de alimento com registros estatísticos confiáveis especialmente na europa, passando o ano de 1816 a ser conhecido como Ano Sem Verão.
Culturas agrícolas entraram em colapso e o gado morreu, resultando na pior fome do século XIX.
Depois da erupção, a montanha do vulcão ficou com metade da altura anterior e formou-se uma enorme cratera, hoje contendo um lago.A existência de Tambora é estimada como iniciado 57.000 anos atrás. Sua ascensão injetou uma grande câmara magmática dentro da montanha. Desde a erupção de 1815, a parte inferior contém depósitos de intercaladas seqüências de lava e materiais piroclásticos.Usando a técnica de datação por radiocarbono, estabeleceu-se que o Monte Tambora entrou em erupção três vezes antes da erupção de 1815, mas as magnitudes destas erupções são desconhecidas. Suas datas estimadas são 3910 a.C. ± 200 anos, 3050 a.C. e 740 d.C. ± 150 anos.
Em 1812, Tambora tornou-se altamente ativo, com seu pico eruptivo no evento catastrófico explosivo de abril de 1815. A magnitude foi sete na escala de índice de explosividade vulcânica. Foi uma erupção explosiva da chaminé central com fluxos piroclásticos e um colapso da caldeira, causando tsunamis e danos extensos em terras e propriedades. Ela criou um efeito de longo prazo sobre o clima global.
Tambora é ainda ativo. Menores domos de lava e fluxo tem sido extrudados sobre o piso da caldeira durante os séculos XIX e XX. A última erupção foi registrada em 1967. Entretanto, esta foi uma erupção muito pequena e não explosiva.
No início da erupção, o vulcão ejetou uma enorme quantidade de fluxo piroclástico e vieram as nuvens de gases quentes, compostas por gás e cinzas quentes também liberados na explosão. Além de causar problemas respiratórios na população, em muito maior raio, essa mistura superquente queimou matas e construções em um raio de dezenas de quilômetros no entorno do vulcão. Por causa da nuvem de cinzas, as plantações ficaram cobertas e foram destruídas. O peso da crosta formada nos telhados fez desabar casas a até 1300 quilômetros de distância do vulcão. Com tudo isso, os especialistas estimam que outras 82 mil pessoas morreram em poucos dias devido a causas indiretas da erupção, como fome, desabamentos e doenças. É registrada fome inclusive da família do marajá de Sumbawa, evidentemente o homem mais rico da ilha. Embora as notícias da erupção demorassem mais seis meses para chegar ao mundo ocidental, seus efeitos foram sentidos no hemisfério norte. A liberação de gases vulcânicos, com destaque para o dióxido de enxofre, diminuiu a incidência de raios solares na Terra. Como conseqüência, a Europa teve o chamado "Ano Sem Verão" e a temperatura global caiu 3°C, caracterizando um inverno vulcânico.

http://pt.wikipedia.org




SOLIDARIEDADE

"Se já dominas a ti mesmo, ampara aqueles que ainda não conseguem evitar a própria irritação.

Se te sentes com saúde, socorre o doente.

Se estás forte, auxilia aos mais fracos.

Se tens algum dinheiro, faze a doação de alguma parcela ao necessitado que espera a bênção de um pão.

Solidariedade é lei da vida.

Hoje consegues apoiar alguns, amanhã, talvez precisarás do apoio de todos."